domingo, 2 de maio de 2010

Ser

Anseio ser eu.
No meu mais puro entendimento, em uma transparência cristalina, direta, pura;
Não preciso de sentido, nem de verdade, quero o que der, quero o que puder ser;
Quero poder sorrir com liberdade, ir sem hora para voltar e ter os mais completos sonhos;

Fazer alguém feliz, me fazer feliz...

Acordar com vontade de começar o dia, e ir dormir sem querer que ele acabe...
Sentir o coração bater mais forte, naquela disritmia que gera sensação de que há uma vida dentro do peito;

Sentir o vento.
Quero mais adrenalina, quero mais realizações, quero mais simplicidade...

Ainda que baixa, resplandece em mim uma força para lutar, para buscar, para vencer...
Um dia ela deixa de se submeter, explode, pira, pula, sai pra fora;

E eu,
chego lá...

8 comentários:

  1. Bonito isso. Um mistura de juventude e maturidade. Nunca mude. Beijo. GIBI

    ResponderExcluir
  2. explodir? pirar? pular? sair para fora.. quer coisa melhor? E sim, todos, chegamos la!

    ResponderExcluir
  3. odorei ! =D proxima poeta ! beijos

    ResponderExcluir
  4. Olha, conheci uma poeta no axé...
    Rosa, vc tá de parabéns!
    É incrível como vc expressa a vontade de liberdade sem limites, que todos temos!

    ResponderExcluir
  5. Pedro Henrique (Cabeça)3 de maio de 2010 17:30

    Que isso?
    Nem sabia que vc era poetisa.
    Ta de Parabéns, Rosinhaa.
    Ahhh... e vc chega lá sim! =D
    Todos chegaremos.

    ResponderExcluir
  6. Best,
    lindo os seus textos!
    voce ta de parabens..
    nao pare de escrever nunca!
    beijoss! =)

    ResponderExcluir
  7. É Marcela, sempre se superando.
    Seu texto está formidável. Vou seguir o teu blog com mais frequência.

    ResponderExcluir