quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O topo

Mais um tropeção.
Preciso levantar a cabeça.
É estranho passar por tudo isso. Achei que fosse invencível, inquebrável, eterno. Aprendi desde cedo que ali estava a minha base, minha estrutura, meu pedestal. De repente, fim. Procuro e não acho. Desmoronou. Fiquei no escuro.
Com os dias percebo, que já estou quase no topo.
O topo dos destroços.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir